28.01.2021

COVID-19 | Alteração do regime contraordenacional no âmbito da situação de calamidade, contingência e alerta

Na tentativa de combater o crescimento acelerado da pandemia da doença COVID-19, o estado de emergência foi renovado, por via do Decreto n.º 3-A/2021, de 14 de janeiro. O regime do novo estado de emergência foi clarificado e reforçado pelo Decreto n.º 3 -B/2021, de 19 de janeiro.

As alterações implementadas pelo Decreto-Lei 8-A/2021 têm como objetivo assegurar o cumprimento das medidas previstas no Decreto n.º 3-A/2021, de 14 de janeiro e do Decreto n.º 3 -B/2021, de 19 de janeiro, alterando o regime contraordenacional aplicável à violação de medidas implementadas em cada um desses diplomas.

Novas contraordenações

A primeira alteração a referir é a qualificação como contraordenação da violação dos deveres impostos pelo Decreto n.º 3-A/2021, de 14 de janeiro,

  • o dever de recolhimento domiciliário;
  • a limitação de circulação entre concelhos;
  • a realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2;
  • o dever de suspensão de atividade e encerramento de instalações e estabelecimentos;
  • a proibição de publicidade de práticas comerciais com redução de preço;
  • a observância das regras de funcionamento dos estabelecimentos de restauração e similares;
  • a observância da proibição de consumo de refeições ou produtos à porta do estabelecimento ou nas suas imediações;
  • a observância da proibição de comercialização de certos bens em estabelecimentos de comércio a retalho;
  • a observância das regras de lotação dos veículos particulares com lotação superior a cinco lugares;
  • a observância das medidas aplicáveis a estruturas residenciais e a outras estruturas e respostas de acolhimento;
  • a proibição da realização de atividades em contexto académico;
  • a observância das regras para a atividade física e desportiva;
  • a observância das regras de realização de eventos.

 

Valores das coimas

Os valores das coimas mantêm-se inalterados, sendo de 100 a 500 euros, no caso das pessoas singulares e de 1.000 a 10.000 euros, no caso das pessoas coletivas.

Para os casos de incumprimento das regras aplicáveis ao tráfego aéreo e aos aeroportos - única exceção aos montantes anteriores -, os valores também se mantêm:

  • Para as pessoas singulares que se recusem a realizar o teste molecular RT-PCR antes de entrar em território nacional, a coima aplicável varia entre 500 a 800 euros;
  • Para as companhias aéreas ou entidades responsáveis pela gestão dos respetivos aeroportos que transportem passageiros não portadores de comprovativo de realização de teste laboratorial para despiste da doença COVID-19 com resultado negativo, realizado nas 72 horas anteriores ao momento do embarque, a coima aplicável varia entre os 500 a 2.000 euros por passageiro;
  • Para as companhias aéreas ou entidades responsáveis pela gestão dos respetivos aeroportos que não disponibilizem teste laboratorial para despiste da doença COVID -19, não procedam ao rastreio da temperatura corporal por infravermelhos a todos os passageiros que chegam a território nacional ou não repitam a medição da temperatura corporal quando seja detetada uma temperatura corporal relevante na sequência daquele rastreio, a coima aplicável varia entre 2.000 a 3.000 euros.

Em caso de reincidência as coimas passam a ser agravadas em um terço nos seus limites mínimos e máximos.

 

Tramitação do Processo Contraordenacional

Como novidade prevê-se a aplicação do regime contraordenacional em vigor no Código da Estrada, permitindo-se a cobrança imediata da coima aplicável no momento da verificação da infração.

O pagamento voluntário no momento da verificação da infração pode ser feito por todos os meios legalmente admitidos. A falta desse pagamento voluntário imediato importará o pagamento das custas processuais aplicáveis ao processo e a majoração da culpa na determinação do montante da coima.

Quer saber mais? Subscreva a nossa newsletter aqui.

Conhecimento

Por defeito, este site usa cookies.
Estes cookies destinam-se a optimizar a sua experiência de navegação neste site.

Saiba Mais